quarta-feira, 26 de maio de 2010

LUNA - Primeiro tratamento em meio hospitalar!

A Luna foi a minha primeira experiência de acupunctura no meio hospitalar.



A verdade é que senti que os tratamentos na casa das pessoas correm bastante melhor, pois os bichinhos já têm alguns traumas das clínicas/hospitais e respectivas batas.

Já vêm na rua ansiosos ao verem para onde vão e chegam no consultório uma pilha de nervos ao sentirem onde estão.

Claro que há animais e animais!

A Luna é um caso exemplo de stress na clínica veterinária, segundo a dona é uma paz de alma tanto em casa como na rua e na rua, ainda nem tinha entrado, já andava toda aos tremeliques.

Mas por outro lado, para mim é bastante mais confortável atender 3 ou 4 clientes de seguida no mesmo local do que ficar a andar de um lado para outro, de casa em casa, para fazer a acupunctura, pois é não só o tempo como a gasolina!

A Luna é uma cadelinha amorosa que fez em 2007 uma rotura dos ligamentos do joelho direito e uma consequente luxação da rótula. (Esqueci-me de tirar uma fotografia do Rx, pedirei na próxima consulta!)

Com o tempo formou-se osteofitos (formação óssea) na articulação, com as suas consequentes dores.

Ao tentar defender a perna direita, está a forçar a esquerda, e vejo que também claudica e se ressente do membro esquerdo.

Para completar, é uma cadelinha que também já tem 9 anos e começa com as artrites da idade e referente ao excesso de peso que teve até agora (pois emagreceu bastante agora).

Este é o vídeo onde podemos ver a luna a caminhar antes de entrar para o tratamento

video

Apesar de tanta ansiedade, posso dizer que a sessão correu bastante bem para uma primeira sessão. Numa primeira sessão os nossos animais, que não compreendem o "porque estou aqui, quem é aquela e o que me vai fazer?", estão sempre bastante desconfiados e sempre atentos ao que se vai passar.

Mas com o passar do tempo, vão relaxando e já sabem o que esperar, deixando colocar as agulhas todas (e mais algumas se fosse necessário).

Com a luna tinha previsto 17 agulhas e alguns pontos de electropunctura, claro que não fiz a electropunctura na primeira sessão, seria dar um passo maior que a perna e a Luna poderia não gostar nada.

Os pontos mais difíceis foram os do joelhos, que de 6 consegui colocar apenas 4 (e com muito reflexo!), ela como resolveu estar sentada contra a parede, não consegui colocar os da perna esquerda, que também não era muito importante para já. Também não coloquei o ponto da patinha... nunca numa primeira sessão :P



Mas compensei com alguns pontos nas costas (o ponto do SHU do Rim, para fortificar um pouquinho o Qi da Luna).

Portanto, anexo aqui os pontos que decidi fazer para a Luna.

PONTOS
METODO PUNCTURA
ATRIBUTO/INDICAÇÃO
Bai-hui
Unilateral (l. média)
Def Yang; membro pélvico
BL54
Bilat; EP unilat
Ponto mestre membro pélvico
BL40
Bilat
Ponto mestre membro pélvico, ponto local
ST34
Unil - EP
Ponto chave patologia joelho
ST36
Bilat; EP unilat
Tónico Qi geral, fraqueza membros post, ponto local joelho
GB33
Unilat EP
Ponto local joelho
GB34
Bilat; EP unilat
Ponto mar para tendões e ligamentos + estagnação Qi Liv
Liv3
Bilat
Ponto Shu Yuan – estagnação Qi Liv
Liv8
Unilat EP
Ponto tonificação local
SP10
Bilat, EP unilat
Mar de sangue, estagnação Xue, ponto local

E aqui está o filmezito da Luna na sua primeira sessão de acupunctura com as agulhas todas postas (todas as 11 e algumas já caídas).

video

Passei também a fitoterapia (F109- Jian Bu Hu Qian Wan, que significa, pílulas para caminhar a passos largos como um tigre) e vamos a ver se na próxima semana ela já tem menos dores e podemos começar a fazer a acupunctura no joelho ;)

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Palestra acupunctura em animais de companhia

SLIDES APRESENTADOS NA PALESTRA

(em baixo descrevi praticamente tudo aquilo que foi dito durante a palestra de acordo com o nº dos slides)




1. Olá a todos, o meu nome é Sabrina Teixeira e venho-vos apresentar muito resumidamente as principais diferenças entre a acupunctura veterinária e a acupunctura humana. 
 No final irei fazer um resumo do meu trabalho para a minha tese de Mestrado Integrado com o tema "Acupunctura no tratamento da Dermatite Atópica Canina".

2. A acupunctura nos cães e nos gatos é relativamente recente comparativamente à Humana, Equina e outros animais da espécie pecuária. A localização dos pontos foi transposta dos modelos humanos e fortemente influenciado pelo modelo equino. 
O tamanho e forma dos membros nos cães e gatos diferem tantos dos Humanos como dos Equinos, o que tornou a tarefa de transposição de alguns pontos um desafio.

3. A distância da articulação do cotovelo à articulação cárpica, nos cães (assim como nos Humanos) é de 12cun. Que poderá ir de 6cm em um Chihuhua (0,5cm 1 cun) a 50cms num Grand Danoir (4cm 1cun).No Chihuhua os pontos de acupunctura poderão estar muito próximos uns dos outros.  
O comprimento da 1ª vértebra caudal e a largura da última costela é de 1 cun. A medida por dedos só é utilizada em grandes animais (1cun aprox 3cms – 2º + 3º dedo). 

4. A transposição dos pontos de acupunctura nos dedos é complicada pelo facto de o 1º dígito não estar presente no membro pélvico e ser remanescente no membro torácico.  Como resultado têm apenas 4 dígitos funcionais.  
Mas como os pontos digitais são muito dolorosos nos cães e gatos, raramente estes são utilizados. 
Mais diferenças:
-Tamanho agulhas:  cães – 2,5; cães pequenos e gatos 1,8 
-Posição dos animais e do terapeuta (dep tamanho, atitude (agressividade), debilidade do paciente) – pé ou deitado? Não vamos deixar um animal débil e fraco em pé durante os 20 minutos, certo? Eu, pessoalmente prefiro que eles estejam deitados e relaxados, mas isso varia de acordo com o perfil e preferências do acupunctor. 
-Educação dos donos (sobre diversos assuntos, principalmente sobre as reacções possíveis do animal à acupunctura, o que esperamos dos donos durante uma consulta e o tempo que poderá a fazer efeito – nº de sessões mínimas) 
-Canídeos - Aquapunctura (B12 – tónico Chi Baço), charuto de moxa (donos podem aprender e continuar a fazer em casa) e electropunctura para patologias dolorosas e disordens neurológicas. 
-Felinos – maior parte destes os pontos são superficiais e acessíveis. Electropunctura apenas com aumento graduado lento da amplitude.

5. Devemos medir o pulso na artéria radial ou femural? Essa será mais uma opção do acupunctor.
A artéria radial tem todo o significado da medicina tradicional chinesa... mas será prática?
Pensemos nos nossos animais de 4 patas, em pé, se queremos medir ambos os pulsos simultâneamente seria complicado (a não ser que o animal tenha alguma finalidade de ficar em duas patas por algum tempo), além de que o pulso deve ser sempre medido na altura do coração! Então vamos deitar o cão para podermos medir o pulso, imagina que é um animal agressivo, deixarias o teu braço ali, tanto tempo, tão perto da boca do animal? Além de que eles não gostam de ter a pata segura durante tanto tempo... Ainda não conveci? E se eu disser que é muito mais fácil sentir o pulso na artéria femural do que na rádial para os nossos animais de companhia?

6. O diagnóstico pela lingua é muito semelhante ao método humano, em relação às localizações dos órgãos, cor, humidade... a única grande diferença é termos de nos adaptar ao seu maior tamanho e um formato ligeiramente diferente... Além do facto de não podemos dizer "Agora diz Ahhhhhhhhhh" :D
(Agradeço esta magnifica foto da língua ao Timon, um paciente fantástico)
Em relação à cor, a lingua dos nossos animais de companhia é um rosa ligeiramente mais forte que o nosso, com uma ligeira capa branca. A dos gatos tem uma capa branca um pouco mais espessa.

7. Eu poderia dizer que a imaginação é o limite para as indicações da acupunctura veterinária! É uma medicina, e como tal, tem o potencial para tratar e equilibrar o organismo em praticamente todas as patologias, em semelhança à acupunctura Humana. 
As maiores utilizações da acupunctura no Ocidente é para as patologias crónicas e/ou dolorosas. Patologias onde a Medicina Ocidental não consegue, ainda, chegar.
em relação aos slides da investigação para a minha tese, penso que está tudo já dito no blog, alguma dúvida, podem sempre escrever um mail para vetpunctura@gmail.com.

Espero que tenham gostado e que tenha sido esclarecedor.