terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Castração - Bogeyman???

Amigos e conhecidos perguntam-me acerca da castração...

"Devo castrar?" Ao que geralmente eu respondo (tanto a cães, como gatos, tanto a machos como fêmeas) "Se não pretendes fazer criação, sim". É o que temos aprendido agora na faculdade e nos congressos, e é também aquilo que eu acredito. "Better safe than sorry!"

E a primeira reacção, geralmente do lado masculino, é "Ohhhh! Coitadinhos!"

Eu compreendo que para as pessoas seja difícil aceitar uma castração como uma coisa positiva para o animal, daí eu ter decidido escrever sobre isso no blogue.

Eu faço questão de lembrar a todos, um cão ou um gato não são Humanos (por mais que muitas vezes pareçam)! A necessidade dos animais para o cruzamento não é pelo prazer (como nos Humanos e golfinhos :P) e sim uma necessidade fisiológica. Muitas vezes esta necessidade fisiológica pode até chegar a ser dolorosa! Alguém já viu um cão aflito por existir uma cadela com cio pelas redondezas? Fica agitado, uiva, torna-se mais agressivo e muitas vezes não consegue nem andar de dores (eu já vi!).

Ah, e para quem já viu um cruzamento... hehehe... não é exactamente um mar de rosas. Nos cães, os bulbos penianos aumentam de tamanho de maneira que não possam ser retirados do interior da vagina da cadela até ao fim da ejaculação. E nos gatos existem espículas na glande do pênis para se prenderem ao interior da vagina das gatas (sim, aqueles berros que se ouvem das gatas no final, não é de prazer, é a remoção das espiculas!).

Castração se refere à ovariohisterectomia (OVH), que é a remoção cirúrgica dos ovários e do útero, ou à orquiectomia, remoção cirurgica dos testículos. São cirurgias bastante simples, embora mais no macho do que na fêmea, uma vez que na fêmea implica uma cirurgia abdominal, e são executadas diariamente na maior parte das clínicas onde se fazem cirurgias.

O porquê das castrações?
Eu vou falar somente das razões preventivas das castrações

Fêmeas - principalmente evitar cios (juntamente com os incessantes miares e choros das gatas e os pingos de sangue e perseguições por cães sempre que se vai passear, fugas e outras alterações comportamentais) e crias indesejadas (mesmo que pense que nenhum macho lhe chegue... basta uma vez!). Outras razões: prevenção de tumores mamários (é provado que a incidência de tumores mamários desce para 0,5% se a castração for efectuada antes do 1º cio e para 8 a 26% antes do 2º cio), prevenção de piômetras (infeccções uterinas), prolapsos vaginais, pseudogestações, neoplasias ovarianas, uterinas ou vaginais, controle de algumas anormalidades endócrinas (diabetes, epilepsia).

Machos - Reduz a superpopulação (já temos tantos animais nas nossas ruas, abandonados ou que já nasceram assim, a visão de "as fêmeas que se preocupem porque não é o meu macho que engravida" ou "eu tenho-o sempre debaixo de olho, ele não foge", quando há uma cadela ou gata com cio, os machos conseguem superar-se nos meios de escape! E como eu disse antes, basta uma vez! Vamos evitar mais animaizinhos nas nossas ruas), a agressividade (se a castração for feita pouco tempo após a agressividade ter começado ou antes, caso contrário é um tanto incerto), comportamentos errantes (fugas) e de micção indesejada.
Ajuda a evitar doenças relacionadas a andrógenos, incluindo prostopatias (hiperplasia prostáticas), adenomas perianais e hérnias perianais. Neoplasias testiculares, controle de epilepsia e anormalidades endócrinas.

Acham pouco? Ainda tem mais: Aumenta a expectativa de vida e diminui os riscos de doenças. Um gato castrado tem menos probabilidades de, quando está na rua, entrar em lutas territoriais ou de cruzar, sendo menor a probabilidade de contrair FIV (SIDA dos gatos - só é transmitida através do sangue, e portanto por mordidelas ou mesmo por contacto sexual), ou FeLV (leucose felina, que está presente nas salivas dos gatos e é transmitido por mordidelas, ou mesmo por partilha de refeição ou quando os gatos se lambem uns aos outros).
E nos cães também existem tumores venéreos transmissíveis!

Quando devo castrar?
Idealmente antes de atingir a puberdade. Isso varia muito com os estudos, médicos e países. Há quem prefira fazer muito cedo, mesmo antes do 1º cio ou após o 1º cio.

Castração precoce (2-5 meses):
  • Retardo no crescimento - a castração precoce atrasa o fecho das epífises ósseas, o que significa que o animal permanece em crescimento por mais tempo e terá uma estatura ligeiramente maior. Não acontece em todos os casos, mas mesmo acontecendo, não é grave.
  • Obesidade - 30% das cadelas castradas aumentam de peso devido ao aumento de apetite, porém se a ingestão de alimentos for controlada, tal não será problema. Estudos feitos mostra que não há um aumento na tal tendência devido à castração precoce.
  • Mudança de comportamento - Não há qualquer alteração em brincadeiras, monta, caça, dominância e guarda, tanto na castração precoce ou tardia. Existe no entanto, 90% de diminuição do hábito de "vadiagem" (principalmente nos machos), ou seja, de procurar fêmeas no cio ou lutas com outros machos, diminui consideravelmente a agressividade com outros machos e a marcação territorial através da micção.
  • Problemas urinários - Actualmente ainda se sabe muito pouco acerca da relação das hormonas sexuais sobre o sistema urinário dos cães e gatos. A incidência de obstrução uretral em gatos é igual em gatos castrados ou não. Em relação à incontinência urinária em cadelas, pode acontecer semana ou anos após a cirurgia, assim como em cadelas inteiras. Não há evidência que a castração, precoce ou não, irá potenciar o problema.

Eu pessoalmente prefiro a castração entre os 5-6 meses de idade em fêmeas (o primeiro cio pode aparecer aos 6 meses) e entre os 5-7 meses em gatos machos (antes da temível micção territorial em dentro de casa) e entre os 6- 9 meses (dependendo do tamanho da raça, de preferência antes de atingir a puberdade - geralmente antes de 1 ano de idade).

Não sou muito fã da castração precoce devido aos riscos anestésicos durante a cirurgia, os animais ainda são muito novos e muito pequenos, a metabolização dos anestésicos é mais lenta. Não é proibitivo, mas do meu ponto de vista é evitável.

Anticoncepcionais NÃO!!!
Muitos donos dão anticoncepcionais às cadelas e gatas, pensando ser um método mais barato e menos sofrido. Mal sabem do mal que estão fazendo ao seu bichinho...
Os anticoncepcionais têm efeitos secundários muito fortes e são as principais causas de tumores, diabetes e infecções uterinas!

A castração é a ÚNICA solução definitiva para o bem-estar dos cães e gatos, machos ou fêmeas!

1 comentário:

Formiguinha disse...

É tão importante que até deveria ser obrigatória.

Tomei a liberdade de copiar o teu texto (com os devidos créditos) para o Blog dos Bichos ;)

http://blogdosbichos.blogs.sapo.pt/